Assista ao vivo o Primeiro Congresso Internacional de Jornalismo Colaborativo

O jornalismo colaborativo tornou-se uma solução cada vez mais bem-sucedida para os desafios colocados pela atual indústria de mídia.

Entre os dias 4 e 5 de maio, o Centro de Mídia Cooperativa da Universidade Montclair, em Nova Jersey (EUA) vai sediar o Primeiro Simpósio de Jornalismo Colaborativo que reúne jornalistas, editores e executivos de mídia para compartilhar as melhores práticas e idéias sobre jornalismo colaborativo e redes cooperativas de notícias.

“Mais do que nunca, ao que parece, jornalistas e organizações jornalísticas estão unindo seus recursos e trabalhando juntos em projetos”, explica Stefanie Murray, diretora do Center of Cooperative Media. “Em última análise, o jornalismo colaborativo é importante porque pode ter um impacto maior: quando trabalhamos juntos podemos fazer mais do que sozinhos”.

A conferência tem um objetivo claro: explorar como os relatórios de projetos colaborativos funcionam e discutir como o uso desses modelos podem produzir um jornalismo mais significativo.

No discurso de abertura a editora Martha Hamilton e Emilia Diaz-Struck, do Consórcio Internacional de Jornalistas de Investigação (ICIJ), deverá focar no projeto Panama Papers, premiado com o Pulitzer, uma colaboração inovadora entre centenas de repórteres em seis continentes que expôs a escala global de paraísos fiscais .

“Temos uma excelente linha de palestrantes que representam uma grande variedade de jornalismo de organizações – desde a ICIJ e ProPublica até o Centro de Informação Investigativa, do WNYC à Detroit Journalism Cooperative”, diz Murray.

A conferência, que oferece um menu completo de palestras de estudo de caso, workshops, sessões de discussão e discussões em grupo, será inteiramente colaborativa, enfatizando a tomada de notas ao vivo e as melhores práticas para a construção de estudos de caso.

Esta é a quarta conferência nacional organizada pelo Centro de Mídia Cooperativa, a primeira organização a se concentrar no jornalismo colaborativo, refletindo o compromisso do Centro de apoiar e fortalecer o jornalismo local. “Acreditamos firmemente que a comunicação colaborativa e as redes cooperativas de notícias são dois componentes muito importantes do jornalismo sustentável hoje em dia”, diz Murray. “Queremos que a cúpula seja o início de uma conversa contínua.”

CollaborativeJournalism.org, JornalismoColaborativo.com, JornalismoColaborativo.com.br

Na comunicação quem colabora pode mudar o mundo.

A cúpula colaborativa de jornalismo busca reunir organizações de jornalismo do mundo todo para discutir o papel da colaboração no ambiente de mídia contemporânea, analisar estudos de caso, aprender as melhores práticas, discutir lições aprendidas e a criação de networking.

Estão previstas interações colaborativas durante o evento com a intenção de motivar a platéia a questionar as pessoas no palco a por meio de ferramentas em tempo real, além de serem destacados casos e vozes como Martha Hamilton, editora do projeto Panama Papers no International Consortium of Investigative Journalists. Ela será a responsável em abrir o evento com outros palestrantes que incluem Scott Klein da ProPublica, Electionland, WNYC, New America Media, o Centro de Informação Investigativa, a Detroit Journalism Cooperative e a NC Newsroom Cooperative. Heather Bryant, Knight Fellow de Stanford e outros convidados também estarão no Collaborative Journalism Summit.

Organizações Participantes:

org-collaborativejournalism

 

#collaborativej

centerforcooperativemediaApós o encerramento do simpósio, no modo “unconference”, os participantes serão convidados para escrever e publicar em um quadro branco gigante. De acordo com a organização, estão programadas seis sessões durante a manhã de sexta-feira.

Além das pesquisas que definem e comparam diferentes modelos e métodos de colaboração que serão apresentados durantes os dias 4 e 5 de maio, na segunda-feira (08/05), o Paley Center for Media, Columbia Journalism e a Fundação Knight, apresentam “The Future of Local News: Trust, Truth and the Bottom Line” em Nova Iorque.

 

Fonte: Jornalismo Colaborativo